Os Princípios de Planejamento Sustentável da Permacultura

Por Juliano Riciardi

poster_-_principios_da_permacultura_portugues.jpg

Os Princípios de Planejamento da Permacultura são como guia para sabermos como conceber, escolher e implementar os métodos e as técnicas que garantirão a sustentabilidade para nossos projetos, casas, escolas, empresas, comunidades e outros sistemas maiores.

Os Princípios da permacultura nos dão uma estrutura que ajuda a otimizar a eficiência e a produção de uma forma que seja: 1. Sustentável para o futuro; 2. Melhorar a segurança alimentar e os rendimentos; 3. Acessível; 4. Utilizando recursos locais, tanto quanto possível; 5. Melhorar e proteger o solo, a terra, o ambiente e as pessoas envolvidas.

Estes princípios irão ajudá-lo a pensar mais criativamente e aplicar ideias que são diferentes a cada lugar. Cada lugar é diferente, cada situação é diferente e cada família é diferente.

Assim, os planos, técnicas, plantas, animais, edifício e materiais serão diferentes em cada projeto. Mas para cada lugar e cada projeto, grande ou pequeno, os mesmos princípios se aplicam. Muitos dos princípios são simplesmente ideias de senso comum, mas que desenvolve o pensamento sistêmico.

Em seguida estão apresentados os doze princípios de planejamento, que devem sempre estar integrados com os 3 princípios éticos, Cuidar da Terra, Cuidar das Pessoas e Partilha Justa de recursos, pois são guiados por esses. Os doze princípios de planejamento permacultural foram desenvolvidos ao longo de mais de duas décadas e publicados em 2002 por David Holmgren através do livro “Permacultura: princípios e caminhos além da sustentabilidade”, publicado em português no Brasil em 2013.

 

  1. Observe e interaja– Sugere que as respostas sejam buscadas a partir da observação de eventos e objetos que se interconectam no desenvolvimento de um fenômeno. Muitas vezes as soluções são encontradas na visualização e correlação com padrões da natureza. Deve-se observar o sistema como um todo – de cima para baixo, relacionando a interdependência dos elementos. A interação deve se dar de baixo para cima – focando pontos que podem influenciar na mudança do sistema como um todo.

 

  1. Capte e armazene energia– No atual estado da sociedade industrial, a questão energética é um ponto chave a ser discutido e repensado. A permacultura considera que a sociedade precisa partir para um modo de produção de baixo consumo energético, principalmente externo. Isso perpassa pela questão do que se consome e do quanto e que tipo de energia foi utilizada na produção. Holmgren (2013, p.85) coloca que conceitos inapropriados de riqueza nos levaram a ignorar oportunidades de nos valer de fluxos locais e formas renováveis (…), fontes importantes de energia são atualmente pouco utilizadas, mas estão geralmente disponíveis para produzir uma maior autossuficiência pessoal ou local. Usar produtos ou serviços que durem mais tempo e repensar a utilidade de cada coisa antes e depois de consumir.
  2. Obtenha rendimento– Além de pensar em soluções a longo prazo que melhorem as condições de vida no planeta no futuro, é necessário obter um rendimento a curto prazo. As necessidades humanas diárias de alimentação, abrigo, disponibilidade de água, energia, precisam ser supridas. Em nossas práticas cotidianas, devemos “desenhar sistemas e organizar nossas vidas de modo a obtermos rendimento através de meios que otimizem a potência de trabalho útil de tudo o que fazemos” (HOLMGREN, 2013, p.126). Esse rendimento pode ser buscado de uma maneira que seja saudável para as pessoas envolvidas e em harmonia com a dinâmica natural local e regional.

 

  1. Pratique a autorregulação e aceite conselhos (feedbacks)– A autorregulação é um dos objetivos do planejamento de um sistema, ainda que jamais seja totalmente alcançado. Como não temos controle dos inúmeros fatores que envolvem cada processo, por vezes são necessárias interferências ou manutenções. A interação com a natureza pode fornecer feedbacks positivos que contribuem para ampliação da produção ou feedbacks negativos, que podem diminuir a produção, por algum motivo, evitando que o sistema todo entre em colapso.

 

  1. Use e valorize os serviços e recursos renováveis– Segundo Holmgren (2013, p.173), o design permacultural deve ter por objetivo fazer o melhor uso de recursos naturais renováveis para o manejo e a manutenção das produções, ainda que seja necessário lançar mão de alguns recursos não renováveis no estabelecimento do sistema. Para isso, é necessário anteriormente ao uso dos elementos, se há outras possibilidades de atender a demanda através de estratégias que não consuma elemento algum. “É apropriado fazer uso diário relativamente efêmero do sol, das marés, da água e do vento, pois são energias diárias ou sazonalmente renováveis” (HOLMGREN, 2013, p. 175).

 

  1. Não produza desperdícios– A minimização de desperdícios pode se dar através de cinco atitudes: recusar, reduzir, reaproveitar, reparar e reciclar. Vê-se que na sociedade moderna, o discurso ambiental é absorvido somente quando se vê nele uma possibilidade de criar mercados, com produtos e serviços com rotulagem “ambientalmente correta”. Nesse sentido as empresas pouco ou nada falam das quatro primeiras atitudes mencionadas e focam apenas na reciclagem, que sozinha não é capaz de superar os problemas socioambientais gerados pela sociedade de consumo.

 

  1. Design partindo de padrões para chegar aos detalhes– Esse princípio remete ao desenvolvimento de “uma linguagem de padrões de planejamento em permacultura ao focalizar exemplos de estruturas e organizações que parecem ilustrar o uso equilibrado de energia e recursos” (HOLMGREN, 2013, p. 219). Na busca por uma sociedade adaptada aos ciclos naturais, nossos esforços estarão mais no sentido de adaptar-nos aos padrões naturais locais, que buscar inovações tecnológicas para reparar nossos erros.

 

  1. Integrar ao invés de segregar– Tanto entre seres humanos, quanto nas relações entre elementos naturais e outros animais, as relações estabelecidas são importantíssimas para a vida e a dinâmica desses grupos. A permacultura acredita que relações cooperativas e simbióticas tendem a contribuir mais do que relações meramente competitivas, na construção de uma sociedade com práticas adequadas em harmonia com a natureza. Holmgren coloca que “nas sociedades tradicionais estáveis, nas quais todos os recursos estão totalmente alocados papéis definidos, obrigações mútuas, contribuições, impostos e outros mecanismos sociais mais cooperativos prevalecem sobre os competitivos” (2013, p.269).

 

  1. Use soluções pequenas e lentas– A sociedade moderna valoriza a velocidade, seja no transporte, seja na produção, seja nas relações de consumo. Holmgren (2013, p.296) diz que A ideia de que o mais rápido é melhor na produção agrícola e industrial, no transporte, na comunicação e nas viagens, na alimentação e em quase todos os aspectos da vida está profundamente enraizada como uma norma cultural. Pequenas e certeiras estratégias de manejo, trazem resultados lentos, mas que podem ser eficazes e duradouros. Esse princípio pode ser aplicado em escala doméstica e pessoal quando buscamos soluções que interfiram em pequena escala, mas que trazem um resultado a longo prazo.

 

  1. Use e valorize a diversidade– O planeta que habitamos é composto por uma imensa variedade de espécies animais e vegetais, culturas, solos, que formam diversos biomas e paisagens. A diversidade é intrínseca naturalmente à nossa vida, e devemos desfrutá-la, aprender com ela e cultivá-la, seja na produção alimentícia, seja no convívio humano. Somente através de um caminho que aceite e proporcione a diversidade, é que se pode garantir segurança alimentar e harmonia nas populações humanas.

 

  1. Use os limites e valorize o marginal– Na natureza, as zonas periféricas – limites e conexões entre um sistema e outro, seja um ambiente, um ecossistema ou um bioma – são pontos ricos em diversidade e energia. É no contato entre a atmosfera e a crosta terrestre que está contida a vida e diversos processos energéticos presentes no planeta Terra. Por exemplo, aumentando-se a borda entre o terreno e a margem de uma represa pode-se aumentar a produtividade de ambos. Um design que percebe o limite como uma oportunidade e não como um problema tem maiores chances de sucesso e adaptação (HOLMGREN, 2007).

 

  1. Use a criatividade e responda às mudanças– Por mais que o planejamento aconteça de forma mais ampla antes da execução ou no começo, é necessário que ele seja constantemente reavaliado conforme os resultados obtidos. Holmgren (2013) afirma que a permacultura se refere à durabilidade dos sistemas vivos naturais e da cultura humana, mas essa durabilidade depende paradoxalmente em grande medida de flexibilidade e mudança.

 

 

No ambiente escolar a Permacultura busca a concepção de soluções pedagógicas sustentáveis como um pátio mais vivo, ecológico, saudável e por seguinte mais rico em situações de aprendizagem, alegria e entusiasmo de todos os envolvidos; desenvolvimento de habilidades e criatividade ilimitadas; facilitação da aprendizagem; melhoria da qualidade das refeições, soluções para reuso e reciclagem de materiais, água e energia, mais profundidade, cooperação e afeto nas relações sociais; propostas de atitudes e valores mais ecológicos para a comunidade.

 

 

Referências Bibliográficas HOLMGREN, David. Permacultura: princípios e caminhos além da sustentabilidade. / David Holmgren; tradução Luzia Araújo. – Porto Alegre: Via Sapiens, 2013. 416p.

 

 

Para saber mais:

https://www.permacultureprinciples.com/pt/

https://permacoletivo.wordpress.com/a-flor/

Sobre premioembracoecologia

Blog do Prêmio Embraco de Ecologia. Site: www.embraco.com.br/ecologia
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s